top of page

Reunião da Comissão do Vez & Voz ensina a focar na solução e não no problema

O encontro teve a participação especial de Patrícia Gomes, neurocoaching e especialista em carreira e desenvolvimento humano


Buscando manter o foco na solução e não no problema, a Comissão do Vez & Voz do SETCESP se reuniu virtualmente, na manhã de ontem (09), para acompanhar uma apresentação sobre como a neurociência ajuda a superar as barreiras para a diversidade e inclusão.

“O nosso bate-papo será com a especialista em desenvolvimento humano e neurocoaching, Patrícia Gomes”, anunciou a coordenadora da Comissão, Camila Florencio.

Em sua apresentação, Patrícia explicou como o cérebro costuma funcionar. “Convido vocês a descobrirem o porquê pensamos muito mais no problema, do que na solução”, disse acrescentando: “o conhecimento que eu poderia ter, seria maior se eu tivesse a aceitação à diversidade, não só a de gênero ou a de raça, mas principalmente a cognitiva; aquela em que as pessoas pensam muito diferente da gente”.

Ela explicou o que são as conexões neurais, criadas a partir de tudo o que vivenciamos e que geram as nossas crenças e vieses. “Assim como a digital dos dedos, nenhum cérebro é igual ao outro, por isso ninguém pensa igual. A gente se baseia na nossa experiência e tomamos isso como verdade.

Depois, um vídeo produzido para causar uma ilusão de ótica foi assistido pelos participantes. “Muitas vezes, temos sombras que atrapalham a resolução de um problema. Isso ocorre porque estamos fixados apenas nas nossas conexões", esclareceu a especialista.

A neurocoaching contou ainda, que a primeira função do cérebro é garantir a nossa sobrevivência, motivo pelo qual ele busca o tempo todo por possíveis ameaças, pois é dele que vem os comandos de defesa e ataque.

Falou também que toda a comunicação que temos a nossa volta, o cérebro entenderá como ameaça ou recompensa. Quando uma pessoa não consegue assimilar que ela tem que levar a diversidade para dentro de uma empresa, é porque ela não está percebendo o quanto isso é recompensador. “O cérebro só está percebendo os sinais, eu vou gastar dinheiro, isso não funciona, é perda de tempo. Mensagens que levadas para o campo da ameaça”, contou.

Após exemplificar algumas situações, a especialista sugeriu uma mudança de abordagem para transformar o pensamento e, por consequência, o comportamento do outro.

“É preciso levar a informação para o lado da recompensa. Como eu construo isso? — Mostrando que diversidade é importante, que o um aperfeiçoamento traz resultados na operação, e por aí vai”, observou Patrícia.

“Muitas vezes, nas empresas a gente lida com aquela máxima: — mas a gente sempre fez assim. Só que as nossas atividades podem ser aperfeiçoadas. Precisamos pensar em outras possibilidades para encontrar soluções diferentes”, refletiu Raquel Rodrigues, uma das participantes da reunião.

“Vamos começar a perguntar como resolver, ao invés de quem errou e o porquê do erro”, concluiu a coordenadora da comissão, reforçando que um dos propósitos do Vez & Voz é estabelecer conexões para a diversidade e equidade.

Participe dos encontros da Comissão do Vez & Voz. Clique aqui e veja o calendário de reuniões.

15 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page