Caroline Duarte: “Faça da pedra de tropeço mais um degrau para você subir”



Ingressei no setor de transportes de cargas em 2003 como estagiária, enquanto ainda cursava a Faculdade de Direito.


Algumas pessoas mudam de ideia sobre a profissão no meio do caminho, isso é até normal. Mas comigo, desde o ensino médio já tinha convicção da faculdade que queria cursar, e o engajamento com as atividades de estágio só confirmaram a minha escolha.

Minha intenção sempre foi advogar, seja na parte de consultoria ou de assessoria jurídica.


Em fevereiro de 2007, fui convidada para assumir um cargo no Departamento Jurídico do SETCESP, e até hoje, desempenho minhas atividades de consultoria voltada ao setor de transporte rodoviário de cargas.


No trabalho, a maior realização é o reconhecimento. Receber aquele elogio faz brilhar os olhos. Escutar aquela frase: “nossa você me ajudou muito, foi bom falar com você”, é gratificante.




Em nenhum momento tive complicações ou mudanças sérias que me fizeram repensar o meu ramo de atividade. Mas isso não significa que tudo foi, e é, fácil. Ao contrário, é claro que é árduo conciliar atividade profissional, administrar e executar as tarefas de casa.



Seus filhos Gabriel e Isabelle

Em 2006, ganhei o meu primeiro filho, o Gabriel e, mesmo ele pequenino em casa, retornei as minhas atividades. No ano seguinte, engravidei da minha filha Isabelle e, mesmo em meio às dificuldades com jornada “dupla”, praticamente com dois “bebês” em casa, já que eles têm apenas 1 ano e 3 meses de diferença, eu vi todo esse esforço sendo imensamente recompensado.


Não posso deixar de registrar o agradecimento, aos meus pais, aos meus filhos e ao meu marido. Todos eles são a minha luz e a minha inspiração diária de querer mais. E eu realmente quero.


Carol e seu esposo

Estou aprimorando meus conhecimentos, pois tudo se atualiza muito rápido, e não se pode parar no tempo.


Tenho um sonho, que ainda não está totalmente concluído, mas que o pontapé inicial já foi dado que é lecionar, e este ano tive a oportunidade de começar a ministrar um curso no SETCESP e a experiência foi incrível.


Para eu chegar até aqui, é evidente que o movimento feminista contribuiu para minha história, para a de todas as mulheres. Ele tem como objetivo a transformação da sociedade de modo a unificar a equidade de gêneros. Sua importância é vencer desafios e retirar o conceito “machista”.


Infelizmente, ainda temos um desequilíbrio de equidade de gênero, o que ocorre também em nosso setor. Não é difícil de constatar que a figura masculina é a maioria presente no nosso setor. Ainda há muitas batalhas a vencer para equalizar esse cenário. Óbvio que, não posso deixar de dizer que já houve evolução, mas ainda não em igualdade.


Ainda persiste a disparidade de participação econômica de mulheres no nosso setor. Mudar isso depende de uma reaprendizagem social/cultural. Nós precisamos quebrar paradigmas e compreender que o perfil de liderança e de papéis é possível para ambos os gêneros.

Curso ministrado pela Dra. Carol na plataforma EAD do SETCESP


Mesmo que haja desafios ou pedras em seu caminho que te derrubaram, levante, mantenha a cabeça erguida e siga em frente, pois a pedra de tropeço será mais um degrau que você conseguirá subir para atingir o sucesso!








*Por Caroline Duarte - Coordenadora Jurídica do SETCESP

Conecte-se com a Caroline no Linkedin

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo