top of page

Mulheres no mercado de trabalho: carreira e desafios

A presença das mulheres no mercado de trabalho tem se tornado cada vez mais significativa ao longo dos anos. Até recentemente, a sociedade apresentava um cenário em que elas eram vistas como incapazes de desempenhar funções profissionais, sendo relegadas a um papel secundário em relação aos homens.

No entanto, essa realidade vem mudando e as mulheres conquistaram cada vez mais espaço e visibilidade em diversos setores da economia. Desse modo, elas se destacam em áreas que antes eram consideradas masculinas, como Engenharia, Tecnologia e Finanças. Além disso, têm demonstrado competência e liderança em cargos de alta gestão e empreendedorismo, fundando empresas e gerando empregos.

Essa evolução é reflexo de um movimento de conscientização que vem ocorrendo nas últimas décadas, no qual a luta pela igualdade de gênero é uma das principais bandeiras Mas, apesar dos avanços, ainda há muito a ser conquistado em relação à equivalência de oportunidades e salários entre homens e mulheres. Infelizmente, a discriminação de gênero ainda é uma realidade no mercado de trabalho.

Dessa forma, é necessário que as empresas promovam políticas inclusivas, e que haja uma conscientização maior da sociedade em relação ao tema para que a equidade de gênero seja uma realidade no ambiente profissional.

Enfrentamento da desigualdade

As mulheres continuam a receber salários menores do que os homens em diversas áreas. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, em 2019, o salário médio mensal das mulheres era 77,7% do salário médio dos homens.

Sem contar que elas ainda não são as primeiras consideradas para assumir cargos de chefia ou liderança. Segundo a pesquisa “Mulheres na Liderança”, realizada pela consultoria McKinsey em parceria com a Lean In, apenas 38% dos cargos de gerência são ocupados por mulheres no Brasil.

Para mudar esse cenário, é importante que empresas e governos adotem medidas para promover a igualdade de gênero. Entre as ações que podem ser tomadas, destacam-se:


Salários iguais

As empresas devem garantir salários iguais a homens e mulheres que desempenham a mesma função.


Criação de programas de capacitação

Programas de capacitação voltados para mulheres podem ajudar a reduzir a desigualdade de gênero no mercado de trabalho, capacitando-as para cargos de liderança e outras áreas em que elas são sub-representadas.


Incentivo à diversidade

Empresas podem adotar políticas que incentivem a diversidade de gênero em suas equipes, criando oportunidades para as mulheres ocuparem cargos de liderança e participarem de projetos estratégicos.


Licença-maternidade e paternidade

Políticas de licença-maternidade e paternidade mais longas e flexíveis podem ajudar a garantir que as mulheres não sejam prejudicadas em suas carreiras devido à maternidade.


Flexibilidade no trabalho

A flexibilidade no trabalho pode ser importante as mulheres conciliarem as responsabilidades familiares com as profissionais, permitindo que tenham mais autonomia em relação ao horário e local de trabalho.


Mulheres e as posições no mercado

O mercado de trabalho é um reflexo da sociedade em que vivemos e, ao longo da história, as mulheres enfrentam diversas barreiras para ocupar posições de destaque e liderança nas organizações.

No entanto, nas últimas décadas, tem ocorrido um aumento significativo da presença feminina em diversos setores e ocupações, mostrando que, pouco a pouco, elas estão conquistando cada vez mais espaço e rompendo com os estereótipos de gênero — mas ainda há um longo caminho para percorrer.

No entanto, nas últimas décadas, tem ocorrido um aumento significativo da presença feminina em diversos setores e ocupações, mostrando que, pouco a pouco, elas estão conquistando cada vez mais espaço e rompendo com os estereótipos de gênero — mas ainda há um longo caminho para percorrer.

Uma das áreas que elas têm ganhado destaque é na liderança empresarial, com o aumento no número de mulheres em cargos de CEO e em conselhos de administração.

De acordo com um estudo da Grant Thornton, em 2021, 29% dos cargos de liderança em empresas brasileiras eram ocupados por mulheres, um crescimento significativo em relação a anos anteriores. Isso mostra que as empresas estão valorizando a diversidade e a inclusão, reconhecendo a importância da presença feminina na tomada de decisões.

Outra área na qual as mulheres têm se destacado é na Tecnologia. Embora ainda exista uma desigualdade de gênero, com poucas mulheres ocupando cargos de liderança e muitas vezes recebendo salários menores do que os homens, elas estão cada vez mais presentes em carreiras relacionadas ao setor, como Programação, Análise de Dados e Engenharia.

Empresas como a IBM e a Microsoft estão se esforçando para aumentar a presença feminina em suas equipes de tecnologia, oferecendo programas de capacitação e mentorias para mulheres interessadas no setor.

Além disso, elas também se destacam em profissões consideradas tradicionalmente femininas, como Enfermagem, Educação e Assistência Social, mostrando excelência nessas áreas, oferecendo cuidado de qualidade e contribuindo para o desenvolvimento humano e social. Por esse motivo, a valorização dessas profissões é essencial para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.


Oportunidades de trabalho

O mercado tem sido historicamente dominado pelos homens, com as mulheres enfrentando barreiras significativas para avançar em suas carreiras. No entanto, nas últimas décadas, as oportunidades para elas aumentaram significativamente, abrindo portas para uma ampla gama de profissões e setores.

Uma das principais razões para essa mudança é a crescente conscientização sobre a importância da diversidade e inclusão no local de trabalho. As empresas perceberam que a diversidade de gênero traz benefícios significativos, incluindo um ambiente mais criativo, inovador e produtivo.

Como resultado, muitas organizações buscam ativamente mulheres para preencher cargos em todos os níveis, desde funções de entrada até posições de liderança.

Além disso, elas estão cada vez melhor qualificadas e preparadas para assumir esses empregos. Muitas delas têm diploma em Cursos Superiores e Pós-Graduações, adquirindo habilidades valiosas em campos como Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

Outra tendência importante é o aumento da atuação remota e da flexibilidade no local de trabalho. Isso é especialmente importante para as mulheres, que muitas vezes ainda possuem responsabilidades familiares e domésticas as quais as impedem de trabalhar em horários regulares.

Com o trabalho remoto e a flexibilidade de horários, elas conseguem mais oportunidades de equilibrar as responsabilidades pessoais e profissionais.

As mulheres também podem tomar medidas para aproveitar as oportunidades de trabalho disponíveis. Isso inclui buscar possibilidades de desenvolvimento profissional, procurando mentores e patrocinadores que possam ajudar a avançar em suas carreiras e se envolver em redes de profissionais femininas.


A presença feminina nos cargos de liderança

Como já citamos, nos últimos anos, vimos um aumento significativo de mulheres em cargos de liderança, tanto em empresas quanto na política. Isso é um sinal positivo da mudança cultural que estamos vivenciando.

O fato das mulheres serem tão capazes quanto os homens quando se trata de liderança finalmente está sendo reconhecido. Inclusive, estudos comprovam que empresas com cargos de liderança femininos tendem a ter um desempenho melhor do que as lideradas apenas pela presença masculina.

Isso porque as mulheres são mais colaborativas, inclusivas e valorizam a diversidade. Além disso elas, têm habilidades interpessoais fortes, desenvolvendo maior empatia e compreensão com os membros da equipe.

No entanto, os desafios que elas enfrentam quando se trata de ocupar cargos de liderança ainda são significativos. A discriminação de gênero ainda é um problema real em muitas empresas e setores, e as mulheres precisam constantemente provar suas habilidades e competências.

Elas também são frequentemente penalizadas por estereótipos de gênero. Por exemplo, muitas vezes são vistas como “agressivas” ou “autoritárias” quando exercem autoridade e liderança, enquanto homens na mesma posição são vistos como “confiantes” e “decisivos”.


Desafios da maternidade e do campo profissional

A maternidade é um dos maiores desafios que uma mulher pode enfrentar na vida profissional.

Embora a licença maternidade seja um direito garantido por lei em muitos países, muitas mulheres ainda enfrentam discriminação no local de trabalho e perda de oportunidades de carreira após terem filhos. Pois, muitas companhias ainda têm preconceitos sobre as habilidades e competências das mulheres depois que elas se tornam mães, o que pode limitar suas oportunidades de promoção e desenvolvimento de carreira.

Por outro lado, há uma crescente conscientização sobre a importância de apoiar as mulheres que desejam equilibrar a maternidade e a carreira de forma que muitas empresas estão introduzindo políticas de trabalho flexíveis, como horários flexíveis, trabalho remoto e licenças parentais compartilhadas para ajudar as mães a equilibrar suas responsabilidades de cuidar dos filhos e trabalhar.

Ao fornecer um ambiente de trabalho inclusivo e apoiar o desenvolvimento profissional das funcionárias, as empresas podem não apenas atrair e reter talentos femininos valiosos, mas também melhorar a cultura corporativa e desempenho geral.

Uma das discussões mais relevantes diz respeito à jornada dupla que muitas mulheres enfrentam, especialmente quando precisam conciliar o trabalho fora de casa com as responsabilidades familiares e domésticas.

Essa jornada pode ter um impacto significativo em suas carreiras. Afinal, quando uma profissional precisa dedicar grande parte do seu tempo para cuidar dos filhos e da casa, fica mais difícil se dedicar plenamente ao trabalho, o que pode ser resolvido com o que já citamos antes: flexibilidade no horário de trabalho.

A adoção de uma rotina versátil também pode ter um impacto positivo na produtividade e na qualidade do trabalho. Entretanto, é importante ressaltar que a adoção de horários flexíveis não é a única solução para o problema da jornada dupla das mulheres.

É preciso que a sociedade como um todo engaje-se nessa questão, valorizando o trabalho delas e compartilhando as responsabilidades familiares de forma mais equilibrada. Somente assim será possível garantir uma maior equidade de gênero no mercado de trabalho, reduzindo a sobrecarga que muitas enfrentam.

Dessa forma, as mulheres também estão criando suas próprias oportunidades, começando seus próprios negócios e criando empresas que apoiam outras mães que desejam equilibrar a maternidade e a carreira.

A maternidade pode trazer muitos desafios, mas também é uma fonte de inspiração e motivação para muitas mulheres, ajudando-as a desenvolver habilidades de liderança e empreendedorismo que podem ser aplicadas em suas carreiras.

Dessa maneira, não é difícil que elas busquem qualidades específicas nas empresas para que possam se sentir valorizadas e desempenhar bem o seu trabalho. Algumas dessas qualidades incluem:


Igualdade de oportunidades

As mulheres querem ter as mesmas oportunidades que os homens.


Cultura inclusiva

Um ambiente de trabalho inclusivo, no qual a diversidade é valorizada e respeitada, é importante para as mulheres se sentirem confortáveis e produtivas.


Suporte ao desenvolvimento profissional

As funcionárias querem ser capazes de avançar em suas carreiras e esperam que suas empresas forneçam oportunidades de desenvolvimento profissional, como treinamento e mentoria.


Equilíbrio trabalho-vida

As mulheres querem (e precisam) equilibrar o trabalho com a vida pessoal para cuidar de si mesmas e de suas famílias.


Remuneração justa

Elas esperam ser remuneradas de forma justa pelo seu trabalho e experiência sem discriminação de gênero.


Importância da presença feminina no mercado de trabalho

A presença das mulheres no mercado de trabalho tem sido cada vez mais relevante nas últimas décadas, principalmente com a conquista de direitos trabalhistas e a luta pela igualdade de gênero.

Claro, ainda existem desafios a serem superados, como a desigualdade salarial, o preconceito e a discriminação, mas como sempre, as mulheres mostram sua capacidade e habilidade em diferentes áreas e profissões.

Elas têm sido protagonistas em diversas áreas, ocupando cargos de liderança e contribuindo para o crescimento e desenvolvimento de empresas e organizações. Além disso, também demonstram sua força empreendedora, criando e gerenciando seus próprios negócios.

Outro aspecto importante da presença das mulheres no mercado de trabalho é a contribuição para a economia, uma vez que a inclusão delas na força de trabalho gera aumento da produção e do consumo, além de reduzir a pobreza e a desigualdade social.

No entanto, é necessário que sejam criadas políticas públicas e empresariais que promovam a inclusão das mulheres, valorizando suas competências e habilidades e garantindo seus direitos.


Destaque feminino nas profissões

Nos últimos anos, as mulheres vêm cada vez mais se destacando em diversas áreas profissionais e ainda que a igualdade de gênero não tenha sido plenamente alcançada em muitos setores, elas conquistaram espaço e reconhecimento em diversos campos.

Uma das áreas nas quais as mulheres têm tido grande sucesso é a Medicina. De acordo com dados da Associação Brasileira de Medicina, mais de 50% dos médicos formados no Brasil atualmente são do sexo feminino. Além disso, muitas delas se destacam em especialidades como Pediatria, Ginecologia, Dermatologia e Psiquiatria.

Outra profissão em que as mulheres chamam atenção é a advocacia. Cada vez mais elas ingressam na carreira jurídica e conquistam posições de destaque em grandes escritórios de advocacia e em empresas. Além disso, muitas mulheres especializam em áreas como direito do trabalho, direito ambiental e direito da família, demonstrando grande habilidade e competência nessas modalidades.

A Engenharia é outra área em que as mulheres conseguiram comprovar sua grande atuação profissional. Embora ainda sejam minoria nessa profissão, elas realizam excelentes trabalhos em áreas como Engenharia Civil, Engenharia de Produção e Engenharia Ambiental. Tudo isso por conta de uma grande habilidade técnica e imensa criatividade, contribuindo de forma significativa para o desenvolvimento de projetos inovadores em diversos setores.

A Tecnologia é um campo em que o sexo feminino também vem conquistando um grande espaço. Embora ainda sejam minoria no setor como um todo, muitas ocupam cargos de programadoras, designers e empreendedoras. Sem contar que elas têm criado startups e empresas de tecnologia inovadoras, contribuindo para o desenvolvimento de soluções tecnológicas criativas e eficazes.

A Psicologia é outra profissão que a atuação feminina mostra poder relevante e essencial. Áreas como Psicologia Clínica, Psicologia Social e Psicologia Organizacional são dominadas pela presença feminina. Desse modo, elas também atuam de modo assertivo como pesquisadoras e professoras universitárias, contribuindo para a formação de novos profissionais na área.

Por fim, podemos destacar a Educação como um setor em que a presença feminina tem grande importância e relevância, com muitas delas sendo professoras e educadoras, atuando para construir gerações de profissionais conscientes. Não é raro encontrar mulheres especializadas em áreas como Educação Infantil, Educação Inclusiva e Educação a Distância, desenvolvendo metodologias eficazes e inovadoras.


Enfrentamento da violência no ambiente de trabalho

A violência contra a mulher no mercado de trabalho é um problema grave e muito comum em todo o mundo. Existem vários tipos de ameaças que elas podem sofrer e algumas das formas mais comuns incluem assédio sexual, discriminação, violência psicológica e violência física.

O assédio sexual é uma das formas mais prevalentes de constrangimento. Ele pode acontecer de diversas maneiras, como por meio de comentários sexuais inapropriados, toques indesejados, insinuações ou propostas indecentes.

Essa intimidação pode deixar a mulher em uma posição muito desconfortável, levando a sentimentos de humilhação e constrangimento. Para enfrentar essa situação, é importante denunciar o assediador e, caso necessário, não hesitar em buscar ajuda de um advogado ou de uma organização de defesa dos direitos das mulheres.

A discriminação é outra forma bastante comum. Ela pode surgir por situações como a prática de salários mais baixos do que os homens, dificuldades para obter promoções, ou ainda preconceitos relacionados à maternidade, à idade ou à aparência física.

É importante que as mulheres estejam cientes de seus direitos e denunciem esses casos, seja junto ao departamento de recursos humanos da empresa ou em organizações de defesa dos direitos femininos.

A violência psicológica também é uma forma comum de violência. Ela pode se manifestar por meio de intimidação, humilhação, ameaças ou abuso verbal. Por ter efeitos muito prejudiciais sobre a autoestima e a confiança pode levar a consequências graves como a depressão. Para enfrentar essa situação, é importante buscar ajuda psicológica e denunciar o agressor.

Por fim, a violência física é a forma mais grave aplicada contra a mulher no ambiente profissional. Ela é caracterizada por agressões físicas, como tapas, socos ou chutes, ou ainda por meio de ameaças. É importante fazer a denúncia imediata do agressor e a procura imediata de ajuda médica.

Para enfrentar casos de violência no mercado de trabalho, é importante que, além das mulheres estarem cientes dos seus direitos, as empresas implementem políticas de combate a esses casos, oferecendo todo o suporte às vítimas.

Isso pode incluir a criação de comitês internos de combate à violência, a realização de campanhas de conscientização e a oferta de suporte psicológico e jurídico para as mulheres que precisam de ajuda.


Fonte: UNISA

20 visualizações0 comentário
bottom of page