top of page

Iraniana Narges Mohammadi vence o Nobel da Paz

Ela foi laureada pela sua luta “contra a opressão das mulheres no Irã” e para “promover os direitos humanos e a liberdade para todos”

Ilustração de Narges Mohammadi, vencedora do Prêmio Nobel da Paz de 2023

A Real Academia Sueca de Ciências laureou nesta 6ª feira (6.out.2023) Narges Mohammadi com o Nobel da Paz 2023 “pela sua luta contra a opressão das mulheres no Irã” e para “promover os direitos humanos e a liberdade para todos”.

Segundo o comitê do Nobel, Narges Mohammadi “é uma mulher defensora dos direitos humanos, que luta pela liberdade”. Suas ações acarretaram “enormes custos pessoais”. Ao todo, o regime do Irã a deteve “13 vezes, a condenou 5 vezes e a sentenciou a um total de 31 anos de prisão e 154 chicotadas”.

Narges Mohammadi está atualmente na prisão. Receberá 11 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 5 milhões).

Narges Mohammadi nasceu em 1972, estudou física e é engenheira. “Quando jovem estudante de física, Mohammadi distinguiu-se como defensora da igualdade e dos direitos das mulheres. Em 2011, ela foi presa pela 1ª vez e condenada a muitos anos de prisão pelos seus esforços para ajudar ativistas encarcerados e suas famílias”, disse o Comitê do Nobel.

Depois de deixar a prisão sob fiança, Mohammadi “mergulhou em uma campanha” contra a pena de morte. O ativismo “levou à sua nova prisão em 2015 e a uma pena adicional de anos atrás das grades”, acrescentou o comitê.

Desde a morte de Mahsa Amini, em 2022, Mohammadi lidera a luta das mulheres no Irã. Amini, uma iraniana de 22 anos, foi detida pela polícia moral por usar seus trajes de forma “inapropriada” para os padrões do país. Ela vestia calças apertadas e seu hijab –véu tradicional da cultura islâmica– não cobria completamente os cabelo.

A jovem ficou detida durante 3 dias e morreu sob custódia das autoridades. O episódio desencadeou uma série de protestos no país contra o extremismo religioso. Os principais símbolos das manifestações foram a retirada do hijab e o corte de uma mecha de cabelo.

A onda de protestos do ano passado se tornou conhecida pelos presos políticos detidos na notória prisão de Evin, em Teerã”, disse o Comitê do Nobel. Da prisão, Mohammadi “ajudou a garantir” que os atos fossem mantidos.

Eis os prêmios Nobel de 2023 já entregues:

  • Nobel de Medicina – para Katalin Karikó e Drew Weissman “por suas descobertas sobre modificações de bases de nucleosídeos” que permitiram o desenvolvimento de vacinas de mRNA (RNA mensageiro) eficazes contra a covid-19;

  • Nobel de Física – para Pierre Agostini, Ferenc Krausz e Anne L’Huillier “por métodos experimentais que criam pulsos de luz de attossegundos para o estudo da dinâmica de elétrons na matéria”.

  • Nobel de Química – para Moungi Bawendi, Louis Brus e Alexei Ekimov “pela descoberta e síntese de pontos quânticos”, usados, por exemplo, em televisores e lâmpadas LED;

  • Nobel de Literatura – para Jon Fosse, “pelas suas peças e prosa inovadoras que dão voz ao indizível”.

O vencedor do Nobel de Ciências Econômicas será divulgado na 2ª feira (9.out).


Fonte: Poder360




3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page